30 X 1

Cabelo também faz parte do corpo. Odeio quando tocam nele sem a minha permissão. Frequentemente isso acontece devido à surpresa índicede que não se trata de uma peruca (E se fosse, ninguém nada tem a ver com isso) . Antes que consigam toca-lo eu recuo. Ou seguro a mão da pessoa e xingo para quem quiser escutar.  Ninguém toca em mim sem minha permissão. Não importa quem ou o lugar. É o meu corpo. E se alguma parte chama a atenção isso não o torna sinônimo de sim.

Sou um homem negro. Não ando pela rua exibindo meu sorriso largo por todos os meu trajetos. Devido aos meus passos rápidos e cara fechada, quase sempre me aproximo das pessoas que estão à frente. 
Já perdi as contas de quantas mulheres seguraram fortemente suas bolsas ou se assustaram ao me ver a poucos passos delas. Sempre que Sem títuloisso acontece, faço questão de não olhar para elas. Sigo em frente. Nas poucas vezes em que olhei, as reações nunca foram positivas. Era nítido como se sentiam acuadas e nervosas.

A minha postura me protege, porém assusta quem vive o tempo todo tomada pelo medo devido uma selvagem e violenta falta de educação que resulta em ações doentias.

Até então nunca tinha parado para pensar nisso. Ando pela rua atento para não ser roubado, porém jamais pensei que uma imagem masculina pudesse resultar em medo imediato, fruto de uma série de imposições e suavizações de um ato abominável, como se em algum momento elas tivessem culpa. Se o ato de tocar nos meus cabelos sem minha permissão já me incomoda por demais, então qual deve ser a sensação de a qualquer momento poder ser estuprada? E caso aconteça, de que a culpa é dela?

Tenho vontade de vomitar sempre que tentam justificar um estupro. Nenhum homem está possuído por uma entidade (Sim, estupro2inacreditavelmente muitas pessoas falam sobre isso) ou foram forçados a tal, seduzidos e outras tantas possibilidades que vitimizam a vítima, seja ela quem for.
Não há justificativa ou explicação para estupro. Trata-se de um ato tão abominável que chega a ser difícil encontrar palavras para defini-lo.

Independentemente se há interesse sexual ou não, só se toca no corpo de outra pessoa quando TEMOS PERMISSÃO! De outra forma é agressão, estupidez, invasão. Se não entramos na casa de uma pessoa sem antes sermos convidados, por quê tocaria seu corpo sem permissão da mesma?estupro

Reportagem sobre a adolescente estuprada por trinta homens no Rio de Janeiro:

http://brasil.elpais.com/brasil/2016/05/26/politica/1464275134_153470.html

 

Ao som de Birdy – Beating Heart

(Visited 143 times, 1 visits today)
Please follow and like us:

Você pode gostar...

Comentários no Facebook