Pessoa Sabor Isopor

Todos somos pré julgados, não importa pelo quê. Corte de cabelo, títulos universitários, a vestimenta do dia, fotos no carnaval, amigos das sabor-isoporredes sociais. O que você curtiu. Ou não. Não vejo como fugir disso, principalmente se tratando de pessoas que transformam as redes sociais num diário íntimo (Tem gente que parece confiar mais no Twitter do que na própria mãe). Algumas pessoas até sabem como levar isso adiante, mas são poucas. O mais curioso é quando elas querem/exigem que você se manifeste nesse universo “particular”. E se você desaparece por um tempo e comenta algo do seu real interesse, iniciando uma conversa com alguém que também comentou, existe uma grande chance da pessoa bater boca contigo por inbox, já que, para ela, é quase inadmissível que você inicie uma conversa com outra pessoa naquela postagem. Não, não estou inventando. Isso acontece com frequência.

Outros já preferem, também por inbox, educadamente exigir que você curta, comente, se manifeste diante daquela postagem. Semanas atrás uma pessoa com quem estudei há muito, muito tempo, me adicionou no Facebook. Quando vi a solicitação, aceitei. No meu caso, meu perfil é público. Mas só fui lembrar dela após a própria puxar papo pelo inbox. Na hora o pensamento que merda!

Nunca fomos amigos ou inimigos. Não sinto saudades e jamais tivemos uma única conversa que merecesse uma continuação. Não é uma pessoa ruim, mas a verdade é que termos nos conhecido (ou não) não fazia a menor diferença. E de repente ela estava ali, esfuziante no inbox como se eu tivesse sido o melhor amigo por toda sua adolescência. Naquele momento percebi que certas pessoas só existem quando dentro do nosso campo de visão. Isso não é algo bonito de dizer, mas é a realidade.

Como ela não se encontra no país e de repente toda essa comoção ao me reencontrar, resolvi tirar uma dúvida, resultado de conversas e comentários escutados pelo meio em que convivemos, sempre iniciados por pessoas diferentes da mesma maneira: Postagens e  fotos de gosto duvidoso. Fui ao seu perfil: Lá estavam elas. Logo na manhã seguinte, enviei uma mensagem:

– Você aparenta estar bem. Me disseram que anda fazendo programa no país em que se encontra. Verdade ou não, sucesso no que estiver fazendo.

Ela não gostou nem um pouco daquela pergunta e respondeu, agora sem toda aquela festa, se aquilo se tratava de uma brincadeira. Realmente eu sou um cara muito brincalhão, porém mantenho esse tipo de comentário somente entre os amigos mais íntimos. Afinal, por quê brincar dessa forma com alguém que não diz nada a você? Respondi que não, que algumas pessoas estavam comentando sobre. Ela respondeu ok e ficamos por isso mesmo.

Tempos depois, ela me deletou. Acho que não gostou da sinceridade da pergunta. E o que eu aprendi com isso? Jamais aceite, mesmo em suas redes sociais, PESSOAS SABOR ISOPOR! Quando receber solicitação de uma pessoa como essa, clique em NÃO! Ela encontrará outros amigos mais cedo ou mais tarde. E você continuará feliz, longe dela.

Porém ela ficou tão incomodada com minha pergunta que meu telefone não parou de tocar por toda a tarde!

Tempos depois, a encontrei num bloco de carnaval. Ela quase pulou em mim de tão animada. Eu sorri como quem acabava de chegar num velório. Ela murchou e se afastou. Eu voltei minha atenção para os meus amigos como se nada tivesse acontecido.

Meses depois, durante uma conversa com outra pessoa, ela se solta a seguinte pergunta:

– Você usa cocaína?

– Não. – Respondi sério e sem alteração.

– É que você não para de fungar.

– Alergia. Já ouviu falar?

– É que sou muito sincera e precisava perguntar.

– Legal. Eu também. Tchau.

Me segurando para não rir, pois a situação era absurda, me levantei e fui embora. E tem gente que ainda fica furiosa quando questionada se faz programa.

Realmente não há limites quanto a conhecer uma pessoa louca.

*Pessoa sabor isopor = Pessoa sem conteúdo, sem papo, que não cria em você vontade de estabelecer qualquer forma de contato e que por mais belo que seja seu formato, deixará de ser interessante passado o primeiro minuto.

Ao som de Alanis Morissette – Joining You (Unplugged).

(Visited 247 times, 1 visits today)
Please follow and like us:

Você pode gostar...

Comentários no Facebook