Eu e o Papai Noel

Não me lembro de um dia ter acreditado em Papai Noel. Minha primeira lembrança dele sempre foi a de um homem fantasiado a fim de papai-noel-safadonos alegrar com presentes e nada mais. Eu queria os presentes. Posso dizer que meu maior interesse na figura do Papai Noel sempre foram os filmes de terror que o tinham como protagonista. Me divertia muito assistir o Papai Noel matando geral, rs. Com o coelhinho da páscoa já era outra história. Eu acreditava, ficava horas pensando como ele adentrou na minha casa e onde possivelmente moraria. Como conseguia passar pela grade da minha janela sem quebrar o ovo. Quais mágicas ele carregava. Será que o ovo também era mágico? Todos esses pensamentos deixavam o ovo de chocolate ainda mais gostoso. Sabia que as pessoas podiam comprar ovos de chocolate e presentear quem bem entendessem, mas sempre tinha um que me era dado pelo coelho e dessa ideia eu não abria mão. Até que, um dia, naturalmente, ele deixou de existir.

Mas voltando ao Papai Noel, devido minha posição tanto quanto cética, jamais escrevi uma carta ou sequer um recadinho, exceto quando obrigado em algum trabalho imbecil nas aulas de português da escola. Achava mais prático escrever para a Xuxa (E eu realmente enviei dezenas de cartas para o extinto programa dela). Pedia carrinhos, discos do Michael Jackson, Tears For Fears, A-Ha e Madonna, televisão,papai-noel-safado-3 walkie talkie e uma infinidade de outras coisas. Se um dia leram uma de minhas cartas com pedidos absurdos, certamente se divertiram. Os anos foram passando e já adulto e imerso nas redes sociais, recebo a seguinte solicitação de amizade no Facebook:

PAPAI NOEL QUER SER SEU AMIGO NO FACEBOOK.

Nunca escondi me divertir com esses perfis idiotas e fakes, mas aquele ali não me convenceu. Principalmente por naquele momento alguns guetos estarem pegando fogo devido fofocas e gente descerebrada que acredita em tudo que lê no computador. Ao invés de aceitar a solicitação, decidi, pela primeira vez, escrever uma carta ao Papai Noel e ao invés de envia-la para o Polo Norte, a enviei por inbox.

Querido Papai Noel, infelizmente (ou felizmente) não acredito em você. Na verdade nunca acreditei. Hoje sou adulto e cheguei à papai-noel-safado-2conclusão de que um velho que carrega um saco gigante e que entra no meu quarto enquanto durmo, unicamente para deixar um presente para mim, não pode ser normal. As chances de acordar estuprado são enormes e acho que, caso seja seu real interesse, podemos negociar um apartamento duplex num bairro maneiro, pois acho que meu corpo vale muito mais do que um boneco de super herói, carrinho ou manter a ideia de sua existência presente em minha vida adulta. Caso não se interesse pela proposta, siga sua vida feliz e longe de mim.

Com amor. Gerson Couto.

OBS: Eu NUNCA te esperei em todos estes anos.

Após enviar o absurdo que era essa carta, ele, ao invés de desaparecer, insistiu TODOS OS DIAS ATÉ O NATAL de que realmente era o Papai Noel. No dia 26 de dezembro seu perfil desapareceu e ele nunca mais deu sinais. Será que eu traumatizei o Papai Noel?

Ao som de Everything But The Girl – One Place

(Visited 414 times, 3 visits today)
Please follow and like us:

Você pode gostar...

Comentários no Facebook